Como respira o seu filho?

Com a chegada dos dias mais frios chegam também as gripes, constipações e infeções respiratórias nas crianças, motivo de grande preocupação para os pais. A bronquiolite é a infeção respiratória mais comum em crianças até aos 2 anos de idade e surge com maior frequência nos períodos de outono e inverno.

É uma infeção causada por vírus e caracteriza-se por uma inflamação da mucosa com obstrução dos bronquíolos (vias aéreas de menor calibre), o que dificulta a entrada de ar nos pulmões. Habitualmente, a forma de contágio é o contacto com membros da família ou outras crianças doentes no infantário.



Os sinais e sintomas podem variar conforme a gravidade e a evolução da bronquiolite, mas normalmente incluem obstrução nasal e/ou corrimento, tosse, com ou sem febre. Com o agravamento da situação podem surgir sibilos/pieira, maior fadiga, palidez, recusa alimentar e sinais de dificuldade respiratória, que podem incluir períodos de apneia (pausa na respiração), taquipneia (respiração acelerada), tiragem (quando a pele parece que é “sugada” entre as costelas), adejo nasal (maior abertura das narinas) e cianose (lábios e pontas dos dedos azulados).


Para o tratamento é fundamental que siga as indicações e medicação prescrita pelo pediatra. Alguns cuidados a ter em casa podem incluir um ambiente calmo para a criança, uma boa hidratação, a lavagem nasal frequente com soro fisiológico, inclinação da cabeceira da cama a 30º e fazer refeições mais pequenas, mas com intervalos mais curtos.


A fisioterapia respiratória pode ajudar! Através de uma avaliação do estado clínico da criança, são selecionadas as técnicas adequadas para a mobilização e eliminação das secreções e são dadas indicações sobre medidas a adotar em casa para auxiliar no processo. As vias aéreas são desobstruídas e a criança consegue ventilar de forma mais eficaz, acelerando a sua recuperação.


Por: Cristina Correia, especialista de Fisioterapia Respiratória Infantil


37 views0 comments

Recent Posts

See All